Materiais nanoestruturados em intervenções de reabilitação de Património Arquitetónico

  • Carlos Franco Universidade Lusófona de Lisboa

Resumen

Este artigo tem como objetivo contribuir e estimular a introdução de materiais nanoestruturados nas intervenções de reabilitação, possibilitando a execução de novos rebocos com propriedades fotocatalíticas conferidas pela adição de nanopartículas de TiO2 na matriz da argamassa, entre as quais se destacam as de autolimpeza e de descontaminação ambiental. A adição de nanotubos de carbono nas argamassas e na constituição de betão, permite o fabrico de revestimentos de desempenho mecânico melhorado, assim como de peças estruturais de menores dimensões, proporcionando uma intervenção que se deseja mínima e pouco intrusiva, garantindo uma maior rapidez de execução.


Procurar soluções para as patologias do Património, visando a mitigação dos efeitos nefastos para o ambiente provocados pela exposição aos gases poluentes – NOx, CO2 e aos compostos orgânicos voláteis – COVs, resultando, consequentemente, na aceleração da degradação das fachadas dos edifícios, num modelo mais sustentável, será o grande desafio dos arquitetos e demais especialistas envolvidos.

Biografía del autor

Afiliaciones del autor

Carlos Manuel Franco: Arquiteto mestre, doutorando em arquitetura na Universidade Lusófona de Lisboa, Investigador do LEAU – Laboratório Experimental de Arquitetura e Urbanismo desta Universidade, e no âmbito da sua Tese cujo tema é Nanomateriais na Reabilitação do Património Arquitetónico, vem desenvolvendo ao longo dos últimos anos, um trabalho que tem como um dos objetivos a procura de novos materiais de tecnologia de vanguarda, que possam vir a ser aplicados nas intervenções de reabilitação de Património Arquitetónico, numa perspetiva de maior sustentabilidade, mais propriamente os materiais nanoestruturados - tecnologia já considerada como uma nova revolução industrial, com repercussões na sociedade a curto/médio prazo.
Neste contexto tem desenvolvido artigos vários sobre a temática, como seja para a participação no Encontro de Sustentabilidade em Projeto - ENSUS 2017, elaboração integral de um capítulo publicado no livro digital Gestão de Projetos Sustentáveis, participação no II Colóquio “Investigações em Conservação do Património”, que decorreu em Setembro 2018 na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, Expositor de trabalho oral no Congresso Mineiro de Direito do Património Cultural, evento realizado nos dias 24, 25 e 26 de outubro de 2018, na cidade de Ouro Preto, MG, Brasil.
Presentemente faz parte do Grupo de Trabalho Para Adaptação às Alterações Climáticas, da CM Cascais, onde integrado no Departamento de Planeamento Estratégico, compartilha soluções e novos conceitos para o território, para a cidade e para os edifícios, visando a melhoria da qualidade de vida e fruição do espaço publico, sobretudo para as gerações vindouras.

Citas

BERTI, L. & PORTO, L. (2016). Nanossegurança- Guia de boas práticas em nanotecnologia para fabricação e laboratórios. S. Paulo: Cengage Learning.

CARNEIRO, J. et al (2013). Utilização de nanopartículas de TIO2 para o desenvolvimento de pavimentos rodoviários com capacidade fotocatalítica. http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/26160/1/Após%20revisão _JCar_EF_artigo_7CRP-1.pdf [consulta: 20/05/2019].

CHEN, D. et al (2007). Photocatalytic coating on road – pavements/structures for NOx abatement. http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.604.5945&rep=repy1&type=pdf.[consulta: 15/11/2018].

COSTA, J. et al (2016). Materiais nanoestruturados para aplicação em edifícios históricos. https://www.researchgate.net/publication/309718395_Materiais_nanoestruturados_para_aplicacao_em_edificios_historicos/download. [consulta: 20/05/2019].

CRISTINA, I. et al. (2014). Responsabilidade civil e nanotecnologias. S. Paulo: Editora Atlas S.A.

FRANCO, C. (2018). “Nano materiais na reabilitação de património arquitetónico”, em Tullio, F. & Tullio, L. (Eds). (2018). Gestão de Projetos Sustentáveis, v. 1. Ponta Grossa: Atena Editora. https://www.atenaeditora.com.br/wp-content/uploads/2018/10/E-book-Gestão-de-Projetos-Sustentáveis.pdf [consulta: 18/11/2018].

FUJISHIMA, A. et al (2014). Superhydrophobic Surfaces Developed by Mimicking Hierarchical Surface Morphology of Lotus Leaf In Molecules, 19(4), 4256-4283. https://doi.org/10.3390/molecules19044256. [consulta: 15/11/2018].

FUJISHIMA A. et al (2008). “TiO2 photocatalysis and related surface phenomena”, em Surface Science Reports, 63 (15), 515-582 https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0167572908000757?via%3Dihub.[consulta: 14/07/2018].
GOMES, M. (2014), Materiais de Construção Sustentáveis, in Obras Públicas Sustentáveis, 2, 523-531. http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/31159.[consulta: 30/08/2015].

GONÇALVES, M. & MARGARIDO, F. (2012). Ciência e Engenharia de Materiais de Construção. Lisboa: IST Press.

HEBEL, D. & HEISEL, F. (2017). Cultivated building materials. Industrialized natural resources for architecture and construction. Basel: Birkhauser.

JOSÉ, N. & PRADO, L. (2005). “Materiais Híbridos Orgânico-Inorgânicos: Preparação e Algumas Aplicações”, em Química Nova, 28 ( 2), 281-288. http://www.scielo.br/pdf/qn/v28n2/23651.pdf. [consulta: 18/11/2018].

KHALID M., RATNAM C.T., WALVEKAR R., KETABCHI M.R., HOQUE M.E. (2017). “Reinforced Natural Rubber Nanocomposites: Next Generation Advanced Material”. Em JAWAID M., SALIT M., ALOTHMAN O. (eds) Green Biocomposites. Green Energy and Technology. Springer, Cham. DOI https://doi.org/10.1007/978-3-319-49382-4_14. [consulta: 18/11/2018 ]

LIMA, E. (2014). Nanotecnologia: biotecnologia e novas ciências. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda.

LOOS, M. (2014). Nanociência e nanotecnologia: compósitos termofixos reforçados com nanotubos de carbono. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda.

LUCAS, S. et al (2014). Novos materiais de construção com tecnologias avançadas. Materiais de Construção Sustentáveis, 1, 71-77. http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/31367. [consulta: 18/11/2018].

MASS, W. et al. (2015). Barba - Live in the Fully Adaptable Environment. Amesterdam: The Why Factory.

NETO, O. y PACHECO, M. et al. (2012). Nanotecnologia computacional inteligente: concebendo a engenharia em nanotecnologia. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda.

NETO, E. et al (2014). Efeitos da proteção antigraffiti na durabilidade do betão. Materiais de Construção Sustentáveis, 2, 449-459. http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/31159. [consulta: 30/08/2015].

OHAMA, Y. y GEMERT, D. (Eds). (2011). Application of Titanium Dioxide Photocatalysis to Construction Materials. Yokoama: Springer.

PAPPALARDO, J. et al (2014). Estudo sobre vigas de betão armado reforçadas com tecidos de fibra, Materiais de Construção Sustentáveis, 2, 709-719. http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/31159.[consulta: 30/08/2015].

PARAMÉS, J. y, BRITO, J. (2010). Materiais de construção nanotecnológicos de auto-limpeza, disponível em Teoria e Prática na Engenharia Civil, 15, 55-62. http://www.editoradunas.com.br/revistatpec/Art6_N15.pdf. [consulta: 30-08-2015].
PETERS, S. (2014). Material revolution II – New sustainable and multi-purpose materials for design and architecture. Basel: Birkhauser.

RÓZ, A. et al. (2015a). Técnicas de nanocaracteriação: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda v1.

RÓZ, A. et al. (2015b). Nanoestruturas: princípios e aplicações. Rio de Janeiro: Elsevier Editora Ltda v2.

SANTOS, A. et al (2018). Design para a Sustentabilidade: Dimensão Ambiental. Curitiba: Editora Insight.

SASCHA, P. (2014). Material Revolution II – New sustainable and multi-purpose materials design and architecture. Basel: Birkhãuser,

SCHROPFER, T. (2011). Material Design – Informing Architecture by Materiality. Basel: Birkhãuser.
T
HE BRITISH MUSEUM (2019). The Lycurgus Cup. https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details/collection_image_gallery.aspx?partid=1&assetid=1066991001&objectid=61219. [Consulta: 11-11-2018].

THE ROYAL SOCIETY (2003). Nanotechnology and Nanoscience. http://www.nanotec.org.uk/finalReport.htm. [consulta: 04-12-2018].

TORGAL, F. (2010). Considerações sobre a sustentabilidade dos materiais de construção. http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/13957/1/CM_Materiais_2010.pdf, [consulta:30/08/2015].TORGAL, F & JALALI, S. (2010). A sustentabilidade dos Materiais de Construção. Vila Verde: Universidade do Minho.

TOMA, H. (2016). Nanotecnologia Molecular – Materiais e dispositivos. S. Paulo: Blucher.

TOMA, H. et al. (2016). Nanotecnologia experimental. S. Paulo: Blucher.
Publicado
2019-06-27
Cómo citar éste artículo
FRANCO, Carlos. Materiais nanoestruturados em intervenções de reabilitação de Património Arquitetónico. Ge-conservación, [S.l.], v. 1, n. 15, p. 138-148, jun. 2019. ISSN 1989-8568. Disponible en: <http://www.ge-iic.com/ojs/index.php/revista/article/view/626>. Fecha de acceso: 20 oct. 2019

Recomendaciones por el Autor (títulos/cabecera)

Recomendaciones por el Autor (sin patrón)