A problemática dos resíduos em sistemas gelificados para a limpeza de pinturas

  • Teresa Moreira Braga Teves Reis Mestranda em Conservação e Restauro de Bens Culturais, Universidade Católica Portuguesa, Centro Regional do Porto

Resumen

A limpeza de superfícies pictóricas com sistemas gelificados tem vindo a levantar diversas questões e opiniões contraditórias que se prendem com a deposição de resíduos de alguns componentes dos géis, nomeadamente os surfactantes, nas superfícies tratadas, e com potenciais riscos que ditos sistemas gelificados podem apresentar para os materiais constituintes das pinturas. Propôs-se neste artigo fazer uma revisão generalizada da informação já publicada acerca dos resíduos de géis, numa tentativa de informar outros colegas da profissão acerca deste assunto e assim fomentar tomadas de decisões mais esclarecidas relativamente a uma das operações que mais riscos apresenta para uma pintura: a sua limpeza.


Biografía del autor

Afiliaciones del autor

Conservadora-restauradora, Instituto Politécnico de Tomar, 2005. Mestranda em Conservação e Restauro, pela Universidade Católica Portuguesa, Porto. Exerce actividade privada, nas áreas de pintura e escultura. Lecciona no Curso de Assistente de Conservação e Restauro, Escola Artística e Profissional Árvore, Porto.

Publicado
2012-12-14
Cómo citar éste artículo
TEVES REIS, Teresa Moreira Braga. A problemática dos resíduos em sistemas gelificados para a limpeza de pinturas. Ge-conservación, [S.l.], p. 44-52, dic. 2012. ISSN 1989-8568. Disponible en: <http://www.ge-iic.com/ojs/index.php/revista/article/view/10>. Fecha de acceso: 20 oct. 2019
Sección
Artículos

Palabras clave

Conservação, Pintura sobre tela, Limpeza, Sistemas gelificados, Resíduos

Recomendaciones por el Autor (títulos/cabecera)

Recomendaciones por el Autor (sin patrón)